Arquivo da categoria ‘Dicas e Tutoriais’

Não corra riscos. Efetue um backup automático do sistema. (Fonte da imagem: Backup Festival)

Mais traumático que perder seu celular ou tablet é perder todas as suas informações. Contatos, SMS, aplicativos, configurações de visualização e muito mais são produto de tempo e personalização do sistema. Se não estiverem a salvo, eles podem levar meses para serem configurados corretamente outra vez.

Para evitar esse tipo de problema, o ideal é ter instalado em seu dispositivo um software (ou mais) de backup automático – esteja ele salvando suas informações no seu cartão microSD (ideal para o caso do seu eletrônico quebrar) ou para um servidor online (perfeito se você perder seu equipamento).

O sistema interno de backup da Google

Pouca gente sabe, mas o Android possui um sistema embutido, implementado na versão 2.2 (Froyo), que permite ao usuário fazer backup automático de suas configurações e aplicativos em um servidor da empresa.

Para acessar as configurações de backup do seu dispositivo Android, entre no menu Configurações > Privacidade e marque as duas opções: “Fazer backup” e “Restauração automática”.

     Sistema de backup da Google integrado ao Android.

Algumas informações são importantes para quem está querendo usar esta opção:

– Seu smartphone ou tablet pode não dispor da função de backup automático. Isso acontece pois, como os fabricantes são livres para modificar o Android básico, alguns escolhem remover essa funcionalidade. Outros ainda não têm permissão da Google para usar o serviço. Então talvez você não tenha a opção no seu dispositivo.

– Não são todos os aplicativos que podem ser restaurados dessa forma. Em busca de diminuir a pirataria, a Google deu a opção aos desenvolvedores para incluir ou não em seus apps a opção de backup automático. A maioria deles optou por manter a função ativa em seus programas, mas alguns softwares podem não ter essa alternativa (e por consequência, não serão restaurados).

Dispositivo “rooteado” ou não?

Diversos programas de backup dependem de permissão especial para fazer o armazenamento de informações do seu dispositivo. Essa permissão especial é chamada de root, e nada mais é que dar permissão de administrador a um usuário. Embora existam dezenas de motivos para fazer root do seu dispositivo, existem outras tantas razões para manter o sistema original. A manutenção da garantia do aparelho é uma delas, já que a maioria das fabricantes e operadoras não aprova a prática.

Abaixo estão listadas diversas aplicações com funções diferenciadas, algumas necessitando que o aparelho esteja “rooteado” e outras não. Escolha a que se enquadrar melhor às suas necessidades e possibilidades.

MyBackup (com e sem root)

Uma ótima opção para quem quer fazer backup de seu smartphone ou tablet é o MyBackup, mesmo que o aparelho não esteja “rooteado”. Possui a opção de fazer a cópia das informações para o cartão de memória ou para um servidor externo na internet. Você pode enviar os backups de forma automática, em horários pré-agendados, ou com um comando no programa, para armazenar as informações presentes no dispositivo naquele momento.

É possível fazer backup de contatos, registro de chamadas, favoritos do navegador, SMS e MMS, configurações do sistema, atalhos e widgets para Homescreen, alarmes, dicionários personalizados (para entrada de texto), calendários e playlists de músicas.

     Agendamento de automático no MyBackup.

O MyBackup não salva os programas que você tem instalado no seu smartphone se você não tiver permissão de superusuário no sistema (root). Para usuários com o dispositivo “rooteado”, no entanto, essa é uma função a mais. Quando é feita a restauração em um dispositivo com esse tipo de permissão, o MyBackup instala programas direto do Android Market e armazenados em arquivos APK (estejam eles no cartão de memória ou no servidor do programa).

Atenção: o MyBackup é uma versão trial do MyBackup Pro e expira em 30 dias. É tempo suficiente para você testar o aplicativo e, se gostar, comprar a versão que não expira.

Backup Master (sem root)

Essa é outra ótima opção para quem não tem um celular com root. O Backup Master funciona quase da mesma forma que o MyBackup, mas é completamente gratuito, em virtude de não oferecer o sistema para salvar suas informações online. Apenas o backup para o cartão de memória está disponível.

Você pode salvar suas mensagens SMS e MMS, favoritos do navegador, registro de chamadas, informações de sistema, alarmes, configurações de rede 3G e Edge, senhas de redes sem fio e aplicativos instalados. Ao contrário do MyBackup, o Backup Master não precisa de permissão de superusuário para salvar seus aplicativos, embora alguns deles possam não ser guardados.

     Backup Master efetuando a cópia de todos as informações selecionadas.

O Backup Master permite que o usuário visualize os dados salvos no cartão de memória e efetue a restauração de apenas alguns deles, como SMS ou registro de chamadas. Há ainda uma ferramenta para restaurar todo o armazenamento, trazendo seu telefone novamente para a configuração salva.

Para configurar um agendamento automático do Backup Master, abra o programa e aperte o botão Menu do seu smartphone. Selecione a opção “Schedule” e escolha as opções desejadas.

Titanium Backup (com root)

O Titanium Backup é, provavelmente, a ferramenta mais completa disponível para salvar as informações do seu dispositivo Android. Infelizmente, muitas das funcionalidades fornecidas pela ferramenta são exclusivas para utilizadores de um sistema com permissão de superusuário (root). Mas se esse for o seu caso, fique feliz: o aplicativo é gratuito e muito funcional.

     Agendamento de atividade do Titanium Backup.

Usando a permissão de superusuário, o Titanium Backup consegue armazenar absolutamente todas as informações do seu dispositivo, de forma automática, inclusive para aplicativos cujo backup não é permitido pelos desenvolvedores (como no primeiro meio de backup que explicamos, usando o armazenamento pelo sistema operacional da Google). Você pode também mover qualquer aplicativo da memória interna para o cartão de memória e vice-versa.

Para usuários que desejarem fazer o armazenamento de suas informações online, o Titanium Backup oferece uma versão paga que faz sincronização com uma conta no serviço DropBox (gratuito).

. . . . .

Você conhece outra opção de backup automático das informações de dispositivos Android? Deixe seu comentário abaixo e ajude outros usuários a evitar que suas informações se percam.

O Q4Wine é uma aplicação muito interessante que veio para facilitar ainda mais a vida dos usuários de Linux. Trata-se de um assistente para o Wine. Além de reunir várias informações sobre os aplicativos que estão sendo executados, o programa também permite encerrar cada processo do Wine separadamente.

Com uma interface bem simples e em português, o Q4Wine mostra que veio para conquistar aqueles que utilizam o sistema operacional do pinguim, mas ainda dependem de algumas aplicações que só rodam em Windows.

Interface e opções

O Q4Wine apresenta uma interface bem amigável e didática, além de muito prática. O usuário conta com a ajuda de um sistema de abas empregado na organização das funcionalidades da aplicação. Além de deixar a tela mais organizada, fica bem mais simples encontrar as funções do programa.

Tela de processos em execução

Cada uma destas abas possui um conjunto de botões característico, que permitem o fácil acesso às funções do Q4Wine. Abrindo a guia “Pocessos” (Processos), por exemplo, o usuário tem acesso à todos os processos que estão sendo executados dentro do Wine.

Na guia “Programas”, por sua vez, é possível encontrar um atalho para todos os programas que foram instalados dentro do Wine. O mais legal do Q4Wine é que ele permite a personalização de ícones e até mesmo do nome que o atalho terá.

Personalizando o ícone

Como utilizar

O funcionamento do Q4Wine é bem simples e tudo pode ser facilmente acessado com o clique do mouse. Há duas maneiras de simular um aplicativo por meio dele. A primeira é clicando com o botão direito do mouse sobre o arquivo EXE (ou MSI) baixado e escolher a opção “Abrir com Q4Wine”. A segunda forma é clicando no menu “Arquivo” e escolhendo a opção “Executar programa”.

Independente da maneira que você escolher, a tela de configuração da aplicação será exibida. Nela você pode configurar e personalizar o ícone dos atalhos e também a localização do executável. Outra opção bacana que o Q4Wine traz é a possibilidade de simular a aplicação em um desktop virtual do tamanho que o usuário desejar.

Aplicativo sendo simulado

Versões DEB

Em sua página na internet, o desenvolvedor disponibiliza versões do aplicativo em pacotes do tipo DEB. Embora não sejam os pacotes oficiais, criados pelo próprio John Brezerk, ele afirma que são confiáveis e podem ser utilizados sem problemas

O belo visual do Mac OS X vai deixar os computadores da Apple e invadir o seu Ubuntu com este ótimo tema para Linux. Interface, ícones, fontes, Papel de parede e efeitos especiais. O pacote é o mais completo possível, tudo para uma transformação radical na aparência do seu computador.

Dentre as diversas vantagens que o Macbuntu tem com relação aos demais temas do gênero é o fato de o usuário não ter que se preocupar com configurações e outros aplicativos. Isso porque o tema já traz tudo o que é necessário para modificar cada canto do sistema operacional do pinguim. Preparado? Então, que comece a mágica!

Fontes, ícones, efeitos…

Diferente da maioria dos temas, o Macbuntu não modifica apenas os botões e cores das janelas do sistema. A transformação é radical, modificando desde a tela de login até os efeitos visuais e painéis da Área de trabalho. Confira abaixo os principais itens presentes neste pacotão de novidades.

Genie Effect

A Dock

Já que é para modificar a interface, que seja para valer. Instalando o Macbuntu, os painéis da Área de trabalho do Ubuntu são substituídos pela famosa Dock, marca registrada do sistema operacional da Apple. O legal é que o sistema para adicionar e remover um item da dock é o mesmo do Mac OS X, assim como os efeitos e ícones exibidos.

Dock com todas as opçõesBarra de menu

Embora não represente um grande impacto no visual, a Barra de menu superior do sistema passa a exercer uma tarefa diferente com a instalação do Macbuntu. Isso porque as opções exibidas nela são modificadas de acordo com o aplicativo em execução selecionado. Através dela o usuário pode executar diversas tarefas.

Ícones, fontes e ponteiro

Praticamente todos os ícones exibidos nos aplicativos são modificados para o padrão do Mac OS X. Além disso, novas fontes são instaladas aplicadas a fim de tornar a leitura e o acesso às opções mais fácil. O Macbuntu não deixou nem o ponteiro do mouse de fora, já que o cursor também ganha um novo visual.

Efeitos especiais

Certamente, o que mais chama atenção com o Macbuntu são os efeitos aplicados às janelas e opções do sistema. O chamado Genie Effect, característica do Mac OS X, marca sua presença entre as modificações promovidas no visual do Ubuntu.

Além disso, o efeito cubo também pode ser visto ao utilizar o atalho do teclado para alternar entre as janelas abertas. Para completar o time, o Expose All Windows também pode ser visto no Macbuntu.

Efeito cubo

Como instalar

Temos duas maneiras para realizar a instalação , são muito , mas muito faceis

1º Forma de instalação do tema MacUbuntu para 10.04 e 10.10

Para Ubuntu 10.04, abra o terminal (Aplicativos – Acessórios – Terminal) e digite os seguintes comandos:

Para Ubuntu 10.04
1
2
3
4
tar xzvf /tmp/Macbuntu-10.04.tar.gz -C /tmp
cd /tmp/Macbuntu-10.04/
./install.sh

Já para Ubuntu 10.10, digite:

1
2
3
4
tar xzvf /tmp/Macbuntu-10.10.tar.gz -C /tmp
cd /tmp/Macbuntu-10.10/
./install.sh

Nota: Na instalação, o aplicativo faz várias perguntas, você pode optar por modificar algumas funções ou deixar de instalar alguns aplicativos, portanto, mantenha atenção na instalação.

Para desinstalar basta:
Dica:Para desinstalar, modifique o comando

Mudar
1
./install.sh

para

1
./uninstall.sh

2º Forma de instalação do tema MacUbuntu para 10.04 e 10.10

Acesse o Link a Seguir:

Para Ubuntu 10.04 , faça o download apartir do link a seguir:

Macubuntu 10.04

Para Ubuntu 10.10

MacUbuntu 10.10

Escolha o local onde seja salvar

1 – Após o Download , vá até o local onde foi salvo , e extraia a pasta.

2 – Dentro da pasta extraida , existe um arquivo chamado install.sh , execute-o em um terminal (clicando sobre ele e selecionando para executar em um terinal)

Instalando o Macbuntu 11.04

3 – Pode ser que ele peça as permissões de root.

4 – Preste atenção nas peguntas que ele faz , e ja era , após a conclusão reinicie o pc…

5 – Para desinstalar , ao invés de executar o arquivo install.sh , use o uninstall.sh

Para ubuntu 11.04

Primeiramente , devemos iniciar o pc no ubuntu 11.04 em modo classico (ou seja sem o unity):

Iniciando Ubuntu 11.04 em modo Classico

1 – Ligue o computador com o Ubuntu 11.04;

2 – Quando aparecer a tela para fazer logon, clique no nome de seu usuário e perceba as opções que aparecem abaixo, bem na parte inferior da tela;

3 – Onde está escrito “Ubuntu desktop Edition”, modifique para “Ubuntu Classic Desktop”;

4 – Faça logon normalmente e pronto, ja estamos no ubuntu 11.04 em modo classico

Instalando MacUbuntu 11.04 :

Bem, agora que você iniciou o sistema em modo clássico, baixe o Macbuntu para seu computador, segue o link do download:

Mirror1:Macbuntu 11.04  Download

Mirror:2MacUbuntu 11.04 Download

Feito isso, vamos iniciar a instalação no passo-a-passo abaixo:

1 – Clique com o botão direito do mouse sobre o arquivo Macbuntu.tar.gz e escolha a opção “Extrair aqui“, isso fará com que apareça uma nova pasta no local onde você está extraindo o tema, chamada Macbuntu;

2 – Dê dois cliques com o mouse sobre o arquivo “install.sh” e escolha a opção “Executar em terminal“;

Instalando o Macbuntu 11.04

3 – Agora o próprio instalador do tema irá perguntar algumas coisas para você, em caso de dúvidas, pressione a tecla “Y” (YES) do seu teclado para confirmar;

4 – Em algum ponto da instalação, será necessário digitar a senha do “root” do seu Ubuntu, caso não tenha configurado ainda, siga este tutorial e atualize a senha, em seguida digite a senha para obter privilégios administrativos no seu Ubuntu.

5 – No demais, basta ir marcando a Opção “Y” (YES) e/ou pressionando “Enter”;

Nota:  Dependendo das opções escolhidas, o seu tema poderá um pouco diferente, ou poderá baixar pacotes da Internet. Tenha em mente, que a demora na instalação, dependerá da sua conexão com a Internet.

6 – Terminada a instalação, o seu computador será reiniciado, e terá a cara do Mac OS X.

MacBuntuMacBuntuMacBuntuMacBuntu - Leopard

Sistema Operacional MacUbuntu 11.04

Você podetambém , baixar a iso e instalar a versão MacUbuntu modificada , sem ter que instalar nada:

Sistema Operacional – MacUbuntu 11.04 – Iso

Gostou , divulgue sua opinião…

Vlw galera e até +.

Para atualizar da versão corrente para a versão mais nova estável, a 5 no Ubuntu Lucid, Maverick e Natty (na versão Natty uma atualização simples levará ao Firefox 5) . Abra o Terminal:

Aplicativos –> Acessórios –> Terminal

E digite para a versão mais nova:

$ sudo add-apt-repository ppa:mozillateam/firefox-stable

Isso irá adicionar o PPA de atualização Mozilla para a versão mais nova. Agora é só atualizar os repositórios e os pacotes:

$ sudo apt-get update && sudo apt-get  dist-upgrade -y

Observação: o PPA acima, atualizará sempre para a versão mais nova e estável, mas se houver alguma versão em desenvolvimento, deve ser usado o PPA abaixo:

$ ppa:ubuntu-mozilla-daily/ppa

Após um longo período de espera, nova versão do JailbreakMe já está disponível. O processo exige apenas um toque e liberta seu gadget das mãos de Steve Jobs.

Usuários de iPhone, iPad e iPod touch já podem comemorar: na madrugada de hoje (06/07) foi liberada a nova versão do JailbreakMe para todos os aparelhos da Maçã. Desenvolvido pelo hacker Comex, o exploit é muito simples de usar, fazendo com que o Cydia seja instalado no equipamento em poucos segundos.

Confira os iGadgets suportados pelo JailbreakMe:

  • iPad 1 – iOS 4.3 a 4.3.3
  • iPad 2 – 4.33
  • iPhone 3GS – 4.3 a 4.3.3
  • iPhone 4 – 4.3 a 4.3.3
  • iPod touch 3G – 4.3, 4.3.2 e 4.3.3
  • iPod touch 4.3 a 4.3.3

Com isso, você pode contar com ferramentas exclusivas para o gadget, além de diversas melhorias no sistema. Confira abaixo o passo a passo para usar o novíssimo JailbreakMe 3.0. O processo é muito simples e exige apenas acesso à internet e alguns segundos para a instalação.

Atualização

Antes de tudo, confira se o aparelho já está atualizado com a versão 4.3.3 do iOS. Caso contrário, o jailbreak não deve funcionar. Para isso, vá até o painel Ajustes > Geral > Sobre. Caso o sistema esteja com uma versão anterior, basta conectar o gadget ao iTunes e solicitar a atualização. Em seguida, você já pode começar o trabalho com o JailbreakMe.

Passo a passo

1. Abra o app do Safari e acesse o JailbreakMe.

2. Na janela do Cydia, clique em “Free” e, em seguida, “Install”

3. Pronto, seu iGadget está jailbroken.

Instantaneamente, você é redirecionado para o painel principal do aparelho. Com isso, você já passa a visualizar o Cydia, semelhante ao download de qualquer aplicativo. Após a instalação, basta abrir o app e selecionar uma das três opções entre “User”, “Hacker” ou “Developer”. Se você não tem conhecimentos avançados sobre o sistema, opte pela primeira alternativa.

Se desejar, você pode alterar seu perfil posteriormente, apenas selecionando “Settings” no menu “Manage” (iPhone e iPod) ou “Sources” (iPad). Após confirmar sua escolha, o Cydia já está pronto para ser usado!

O app conta com menu inferior, por onde você pode encontrar ajustes, além de buscar aplicativos. Em “Sections”, estão disponíveis milhares de apps e add-ons exclusivos para o sistema, todos selecionados por categorias. Já em “Search”, você pode encontrar qualquer ferramenta pelo sistema de buscas do Cydia.

Com o jailbreak as possibilidades são infinitas: além de modificar o sistema com recursos não oficiais, você pode instalar apps como o Grooveshark, que permite ouvir qualquer música da rede sem precisar de downloads.

Para começar, o próprio Comex sugere que usuários instalem o tweak PDF Patcher 2, que aumenta consideravelmente a segurança dos aparelhos hackeados, cobrindo falhas de segurança apresentados no sistema da Maçã.

Com a fácil instalação do JailbreakMe 3.0, você pode testar o desbloqueio do sistema sem medo, mas certifique-se de fazer um backup completo de seu aparelho pelo iTunes antes de qualquer modificação.

Entre os sistemas operacionais lançados pela Microsoft, o Windows 7 se destaca não só pelo desempenho aprimorado, mas também por oferecer diversas opções de personalização para o usuário. Apesar dessa liberdade, nem todos os aspectos do sistema operacional podem ser modificados livremente, seja por questões de segurança ou para manter a identidade do programa.

Claro é por esse Motivo e muitos e muitos e muitos outros , é que eu prefiro usar o Linux , rapido pratico e sem bla bla bla…

Mesmo assim o Ruindows não é tão ruim assim (a nivel de usuario sem permissões no sistema)

Neste artigo, ensinamos como burlar algumas das restrições impostas e modificar livremente a tela de login do Windows 7. Assim, toda vez que o computador iniciar suas atividades, será possível conferir imagens, cores e animações totalmente únicas e que fogem ao padrão estabelecido pela Microsoft.

Para tanto, basta possuir o Windows 7 Boot Updater, software totalmente gratuito e que dispensa qualquer espécie de instalação. Confira abaixo o passo a passo informando como usá-lo corretamente, e, após a leitura, deixe sua opinião em nossa seção de comentários.

Pré-requisitos

– Windows 7 Boot Updater

Backup das configurações originais

1) O primeiro passo para usar corretamente o Windows 7 Boot Updater é selecionar a linguagem dos menus do programa (como padrão, o alemão é utilizado). Para isso, clique em “Sprache” e escolha a tradução desejada – neste artigo, usamos a versão em inglês do software;

2) Antes de iniciar as modificações, selecione a opção “File” e em seguida selecione a opção “Save boot skin as…”. Essa ação vai criar um backup da tela de login padrão do Windows 7, permitindo a restauração das configurações originais do sistema operacional em caso do problemas. Certifique-se de guardar o arquivo gerado em uma pasta segura do computador para evitar problemas futuros.

Novo visual para o sistema operacional

O Windows 7 Boot Updater permite mudar tanto a imagem de boot normal (“Booting”) quanto aquela que é exibida caso a máquina seja deixada em repouso (“Resuming”). Em ambos os casos, o processo de configuração é exatamente o mesmo e se aplicam todas as etapas de configuração listadas abaixo.

A primeira característica que pode ser modificada pelo software é a substituição do logo do Windows 7 que aparece durante o processo de boot da máquina:

1) Caso queira usar uma imagem estática, no campo “Animation” selecione a opção “Static Image”. Em seguida, basta selecionar uma foto ou ilustração qualquer presente no computador e abri-la para conferir o resultado;

2) Já aqueles que preferem usar animações devem selecionar a opção “Animation”. Nesse caso, é possível usar uma animação pronta no formato de um BMP longo com 200×21000 pixels ou então montar sua própria animação.

No segundo caso, será preciso possuir uma pasta com 105 arquivos nos formatos BMP, GIF, PNG ou TIF com tamanho de 200×200 pixels, cada uma correspondente a um quadro de animação. Os documentos são exibidos em ordem alfabética, portanto procure nomeá-los em sequência para evitar qualquer tipo de problema.

Elementos do plano de fundo

Há duas formas de usar o Windows 7 Boot Updater: uma delas mantém as características padrões do sistema operacional, combinando imagens e textos, enquanto a outra usa uma imagem selecionada pelo usuário como forma de enfeitar o plano de fundo.

Confira abaixo como usar cada um dos métodos para modificar as características do sistema operacional:

Imagem como plano de fundo

1) Selecione a aba “Boot” e, no campo “Method”, clique sobre a opção “Complete”;

2) Clique em “Select Background Image” e, na janela que surge, selecione a imagem que será usada como plano de fundo. Para que ela se adeque corretamente, certifique-se de que o arquivo possui a dimensão 1024×768;

3) Finalizado o processo, clique em “Fullscreen” para conferir o resultado em tela cheia (para sair do modo, basta apertar a tecla Esc);

4) Caso tudo esteja correto, clique em “Apply” para que as mudanças sejam aplicadas ao sistema operacional.

Mantendo as características clássicas

1) Selecione a aba “Boot” e, no campo “Method”, deixe marcada a opção “Simple”;

2) Em “Background”, é possível selecionar a cor que terá destaque durante a inicialização do sistema operacional;

3) No campo “Messages”, deve-se selecionar o número de mensagens exibidas na tela de boot, processo realizado na opção “Count”. Em “Background”, o usuário seleciona a cor de fundo exibida atrás dos textos selecionados;

4) Nas abas “Message 1” e “Message 2”, você pode configurar as mensagens exibidas durante o boot do sistema operacional. Em “Text” deve-se editar o texto exibido, “Font color” modifica a cor em que ela é exibida, “Position” ajusta o posicionamento da mensagem, enquanto “Font Size” controla o tamanho do texto;

5) Finalizado o processo, clique em “Play” para verificar uma prévia do resultado;

6) Caso tudo esteja correto, selecione a opção “Apply” e aguarde alguns momentos enquanto as modificações são realizadas.

7) Pronto, agora basta reiniciar a máquina para conferir todas as mudanças realizadas. Lembre-se de que é sempre bom manter um backup das configurações originais do sistema operacional para evitar qualquer problema causado pelo uso de imagens que não se adaptam bem às modificações realizadas pelo software.

Em geral, os usuários comuns já têm tudo o que precisam à mão quando querem modificar algumas configurações no Mozilla Firefox.  A janela de opções do navegador conta com praticamente todas as utilidades do dia a dia, integrando alterações de conteúdo, privacidade, segurança e acessibilidade.

Porém, para quem quer personalizar cada etapa da navegação, as preferências básicas podem acabar deixando a desejar.  Mas o que alguns não sabem é que o Firefox “esconde” um verdadeiro canivete suíço, capaz de alterar várias definições avançadas e customizar todo o programa.

Aqui há dragões!

Para entrar nas definições extras do Firefox, você deve digitar about:config na barra de endereços. Em seguida, uma mensagem de alerta aparece ocupando metade da tela.

Obs: a screen capturada é do Firefox 4. A mensagem pode variar de acordo com a versão do browser.

Só por curiosidade: “HIC SUNT DRACONES” é uma expressão do latim que significa “Aqui há dragões”. Ela foi muito usada em mapas medievais para sinalizar áreas perigosas e desconhecidas pelos europeus até então.  No entanto, com as dicas da nossa equipe, não há com o que se preocupar. É só clicar em “Serei cuidadoso, prometo!” e se preparar para “matar” os dragões.

A longa lista de comandos exibida parece, a princípio, assustadora para usuários que não estão habituados com linhas de programação. Para tudo dar certo, é só seguir as instruções abaixo e ficar atento ao que for alterado.

 (Fonte da imagem: WebDesignBooth)Lembre-se de que toda configuração modificada aparece em negrito e pode ser restaurada para o padrão, além de não ser preciso reiniciar o navegador para elas surtirem efeito.

Não aconselhamos aos usuários iniciantes que troquem funções sem tomar conhecimento do que elas fazem.

Abaixo listamos algumas das modificações mais úteis para turbinar o seu Firefox — ou apenas deixá-lo do jeito que você gosta.

Para encontrar mais rápido os termos, copie-os e cole-os na opção “Localizar” presente na janela do about:config. Depois, basta clicar duas vezes em cima da função para alterá-la.

Configurações avançadas.

Miniaturas de todas as abas ativas no Firefox

  • Função: browser.taskbar.previews.enable
  • Valor: true

Por padrão, a superbar do Windows 7 só apresenta miniaturas das janelas principais do Firefox, excluindo as abas — algo diferente do que acontece em programas como o Skype e Windows Live Messenger, onde cada janela de conversa ou configuração também aparece na visualização quando você passa o mouse.

Com essa alteração, todas as abas de todas as janelas aparecerão em forma de miniatura. Ao posicionar o mouse e percorrer por elas, mesmo com o Firefox minimizado, a pré-visualização também é mostrada em tamanho real, agilizando o caminho até a página certa.

Detalhe das miniaturas.

Alerta: essa função é muito útil, mas pode pesar um pouco mais no sistema e incomodar. Imagine que, se você trabalha com 20 abas, toda vez que passar o mouse por ali, a pré-visualização mostrará 20 miniaturas.

Escolher como e onde fica o botão de fechar abas

  • Função: browser.tabs.closeButtons
  • Valores: 0, 1, 2 ou 3
  • 0 = botão fechar apenas na aba ativa.
  • 1 = botão fechar em todas as abas (padrão).
  • 2 = sem botão fechar (fecham-se as abas apenas utilizando o botão direito)
  • 3 = botão fechar localizado no final da fila das abas.

Essa opção trabalha com o “x” de fechar presente nas abas do navegador. Para quem sempre desliza o mouse e fecha uma aba sem querer, a opção “0”, que imita as antigas versões do Firefox, pode ser uma ótima escolha.

O modo mais clássico, sem o “x”, é interessante para jogadores de games em redes sociais — já que assim não se corre o risco de sair do Facebook ou Orkut por descuido. Ainda há uma alternativa nova, que desloca o botão fechar das abas para a direita, perto dos controles principais da janela do programa.

Detalhe da opção 3, com o botão fechar somente à direita.

Resultados da caixa de busca exibidos em uma nova aba

  • Função: browser.search.openintab
  • Valor: true

É uma função particularmente útil, pois evita alguns inconvenientes. Quando você realiza uma pesquisa através da caixa de buscas do Firefox (à direita, na mesma linha da barra de endereços), o resultado é carregado na aba ativa. A partir dessa mudança, as próximas pesquisas aparecerão automaticamente em uma nova aba.

Acelerar o Mozilla Firefox

Existe uma série de truques para melhorar o desempenho do Firefox. As cinco modificações abaixo podem potencializar o carregamento de várias páginas ao mesmo tempo e aperfeiçoar a performance do navegador em jogos (Flash, Java etc.) e downloads.

Alertamos que tais configurações podem prejudicar o andamento geral do sistema (de acordo com o seu processador e sua memória RAM) e também se apropriar de banda extra em uma rede, afetando os demais computadores conectados a ela.

Acelerando o Firefox.

  • Função: network.http.pipelining
  • Valor: True
  • Função: network.http.proxy.pipelining
  • Valor: True
  • Função: network.http.pipelining.maxrequests
  • Valor: 8
  • Função: network.http.max-connections
  • Valor: 96
  • Função: network.http.max-connections-per-server
  • Valor: 32

Botão do meio do mouse = Ctrl + V

  • Função: middlemouse.paste
  • Valor: true

Nessa alteração, o botão do meio do mouse exerce a função do “Ctrl + V”. Ou seja, basta você pressioná-lo em qualquer parte do navegador que o conteúdo copiado ou recortado será colado. É importante frisar que essa função não exclui a propriedade padrão de rolagem de tela (aquela acionada com a roldana do botão central do mouse).

Instalar extensões sem ter que esperar

  • Função: security.dialog_enable_delay
  • Valor: 0

Uma função inconveniente (e até carente de sentido) é o tempo de espera que aparece quando você quer instalar uma nova extensão (add-on). Felizmente, essa opção pode ser desabilitada. Busque a função acima, dê dois cliques e modifique-a para zero.

Nada mais de espera.

Reabilitar a função “Salvar e sair”

  • Função: browser.showquitwarning
  • Valor: true

Para a tristeza de muitos, a clássica opção que salva todas as abas antes de fechar o navegador acabou ficando fora da versão 4 do Firefox.  Só quem viveu sabe o transtorno que é perder o conteúdo de dez ou mais abas de uma vez só. Pois bem, chega de drama: basta alterar a definição para o Firefox não o deixar mais na mão.

Tem certeza?

Você tem uma mensagem não lida

Agora vai uma brincadeirinha para descontrair: digite “about:robots” na barra de endereços do Firefox e veja o que aparece. Gort! Klaatu barada nikto! — depois de mexer em todas essas opções avançadas você não vai ter medo de um robozinho, vai?

Trata-se apenas de um easter egg (ovo de Páscoa), que nada mais é do que uma espécie de surpresa escondida pelos desenvolvedores do programa. Uma lista com vários easters eggs do Firefox e de outros programas famosos pode ser conferida aqui.

Existem, também, outras maneiras de se aproveitar a interface e os comandos do Firefox.

Será que eles vão dominar o mundo?

Depois de ler tudo isso, você provavelmente pode estar pensando “tudo bem, já que algumas modificações são legais, por que eles não liberam essas configurações através de uma interface gráfica?”.

Realmente, seria muito mais fácil acessar esses comandos através de menus e caixas. Claro que, como explicado e evidenciado pela mensagem inicial de acesso, certas escolhas podem comprometer a estabilidade do navegador.  Mas será que um ponto de restauração ou um botão “restaurar padrões” não resolveria?

Enquanto isso não acontece, aproveite este tutorial para incrementar sua experiência online com o Firefox. E, se você souber de mais dicas secretas do programa, não hesite e conte para gente nos comentários abaixo.