Arquivo de 3 de fevereiro de 2011

Sobre IPV6

Publicado: 3 de fevereiro de 2011 em Dicas e Tutoriais, Redes e Wi-FI, Sem categoria, Tecnologia

IPv6 é a nova geração do Protocolo Internet.

Ele já vem sendo utilizado há algum tempo. Mas, agora, sua implantação deve ser acelerada. Ela é imprescindível para a continuidade do crescimento e da evolução da Internet.

Desde o início de sua utilização comercial, há mais de uma década, prevê-se o esgotamento dos endereços IP. Esses endereços são usados para identificar cada computador na rede. Ações paliativas vêm sendo tomadas desde então, mas mesmo assim esses endereços devem esgotar-se no Brasil em algum momento entre 2012 e 2014.

O IPv6 traz para a Internet um espaço de endereçamento capaz de suportar o crescimento da rede indefinidamente ou, pelo menos, em qualquer futuro que pudemos imaginar até agora. Além de resolver o problema de espaço, o novo protocolo também apresenta avanços em áreas como segurança, mobilidade e desempenho.

Quero alertar a todos para a necessidade da implantação do IPv6. Procuraremos, além disso, fornecer ferramentas que permitam uma melhor compreensão da questão e auxiliem, de fato, a implantação. Colaborações são bem-vindas e incentivadas nesse espaço. Alguns dos artigos são escritos pela equipe do NIC.br, mas você pode também escrever seus artigos, apresentar seu case, ou fazer comentários nos artigos já existentes!

 


 

Mais de 180 Sistemas Autônomos brasileiros já têm alocações IPv6!

ipv6.png

Dados em: ftp://ftp.registro.br/pub/stats/delegated-ipv6-nicbr-latest

No entanto para aqueles que tem duvida , ou deseja saber Mais sobre o IPV6

entre neste link

ou Baixe esse curso Sobre IPV6

A empresa suspendeu a entrega do produto para os fabricantes, e estima que a decisão vai causar uma queda de US$ 300 milhões em seu faturamento no primeiro trimestre.

imagem

A Intel anunciou nesta segunda-feira que suspendeu a entrega de um chipset usado em conjunto com seus novos processadores da família Core após encontrar uma falha em seu design. O chipset defeituoso estava sendo usado em PCs equipados com a segunda geração de processadores da família Core (baseados na arquitetura “Sandy Bridge”), anunciados no ínicio deste ano durante a CES 2011. Segundo a Intel, uma solução para o problema já foi encontrada.

Os processadores em si não são afetados, mas consumidores que compraram máquinas com processadores Core i5 e Core i7 de segunda geração (ainda incomuns no Brasil) podem ser afetados pelo problema, diz a Intel. A empresa afirma que “os consumidores podem continuar a usar seus computadores com confiança” enquanto trabalha com seus parceiros em uma forma de entregar aos usuários uma solução definitiva. Isto pode ser tanto uma atualização da BIOS das máquinas afetadas quando um chip extra para resolver o problema.

A Intel descobriu a falha de design em seu chipset da série 6, de codinome “Cougar Point”, usado em máquinas com processadores Sandy Bridge que chegaram ao mercado em 9 de janeiro. A empresa diz que as portas Serial ATA (SATA) dos chipsets podem se degradar com o tempo, o que pode causar impacto na performance e funcionalidade de dispositivos de armazenamento como discos rígidos.

Um dos sintomas de um chipset defeituoso são erros na transmissão de dados, disse Steve Smith, vice-presidente e diretor de operações para PCs da Intel, durante uma conferência. É improvável que os PCs afetados sofram falhas imediatamente, mas transferências de dados agressivas ao longo do tempo podem causar mais erros, disse Smith. Para a Intel, a melhor ação possível era corrigir o problema o mais cedo possível, antes que o chipset começasse a ser usado em grande escala em computadores domésticos.

O chipset passou por testes e qualificação interna na Intel e por testes dos fabricantes de PCs, disse Smith. O problema foi identificado no domingo após a Intel compreender melhor problemas a nível de circuito relacionados à temperatura, voltagem e degradação ao longo do tempo.

O problema com os chipsets deve reduzir o faturamento da Intel no primeiro trimestre em cerca de US$ 300 milhões, já que será necessário parar a produção dos chips atuais e começar a produção de uma versão modificada. A Intel diz que não espera que suas projeções de faturamento anual sejam afetadas pelo problema.

Enquanto isso no Brasil…

Fonte:MuscleNerd

Que o Facebook é a maior rede social virtual da atualidade, não há dúvidas. E também é simples perceber que o site está abrindo cada vez mais mecanismos de comunicação entre seus membros. Que tal então ter seu próprio e-mail @facebook.com? Siga os passos deste tutorial , para solicitar um convite diretamente pelo Facebook.

01. O primeiro passo para solicitar um e-mail @facebook.com é ter um nome de usuário do site. Faça logon normalmente no Facebook e acesse Conta > Configurações de conta.

02. Uma das sessões da página de Configurações de conta é Nome de usuário. Clique no botão Continuar.

03. Coloque o número de seu celular com prefixo de país e cidade (se necessário). Você receberá um SMS com o código de ativação que deve ser digitado no site.

04. Após a digitação do código, você já poderá escolher seu nome de usuário.

05. Novamente nas Configurações de conta, em Nome de usuário, escolha seu nome de usuário e clique em Verificar disponibilidade. É este nome de usuário que será usado para o e-mail @facebook.com.

06. Agora que você já tem seu nome de usuário, visite esta página do Facebook e clique no botão Solicitar Convite. Agora é só esperar até receber sua solicitação – o que pode demorar, afinal o serviço ainda está em fase de testes fechados.

fonte:baboo

Depois de lançar um plugin que adiciona o suporte para o codec H.264 ao Firefox, a Microsoft lançou hoje um similar para o Google Chrome.

O Google anunciou semanas atrás que removerá o suporte para o codec H.264 do seu navegador, mas agora com o plugin lançado pela Microsoft os usuários do Chrome não precisarão ter que depender exclusivamente do WebM para visualização de vídeos que utilizam a tag <video> do HTML5.

De acordo com a Microsoft, o plugin é compatível com o Google Chrome 8.0 (e superiores) no Windows 7. Windows Vista e Windows XP não são suportados.

O plugin, chamado Windows Media Player HTML5 Extension for Chrome, pode ser baixado aqui.

Livre-se dos fios!

As tecnologias que permitem a troca de informações sem a presença de fios foram muito importantes na popularização dos mais variados gadgets. A comodidade e a praticidade que o Bluetooth e o Wi-Fi proporcionam se fazem tão presentes em nosso dia a dia que esses padrões se tornaram quesitos básicos para qualquer equipamento eletrônico.

Atualmente, a maioria dos celulares, smartphones, tablets e computadores sai da fábrica com, pelo menos, um destes protocolos implementado. Assim, é comum presenciarmos pessoas enviando um documento para o celular do colega de trabalho, encaminhando músicas do laptop para o player de música ou fazendo do seu smartphone um roteador de internet.

Entretanto, ambas as tecnologias têm algumas limitações – as mais apontadas por usuários e especialistas são o consumo de energia e o alcance do sinal. Durante os primeiros passos destas tecnologias, essas restrições eram encaradas com menor relevância. Agora, nós queremos mais!

Precisamos de internet em todos os lugares. Necessitamos de meios para a transferência de dados todo o tempo. Para satisfazer nossos novos desejos, empresas privadas e instituições de pesquisa investem em melhorias nos padrões de interação sem fio. Surgem duas novas gerações de tecnologias: o Wi-Fi Direct e o BLE (Bluetooth Low Energy).

Neste artigo, vamos descobrir o que estes protocolos têm a oferecer e quais são as expectativas para eles. Corte os fios que o prendem ao computador e viaje com no nesta matéria , em mais uma empreitada em busca do conhecimento.

Wi-Fi sem fronteiras

Wi-Fi Alliance é uma associação que reúne mais de 300 empresas (entre elas estão a Apple, a Intel, a Microsoft e a Cisco) com o objetivo de fomentar o desenvolvimento do Wi-Fi. A organização sem fins lucrativos é a responsável pela padronização das especificações da nova geração desta tecnologia, o Wi-Fi Direct.

Wi-Fi Direct: conexão sem fronteiras.

Atualmente, para que aconteça a interação entre dois aparelhos usando as redes wireless é preciso que ambos estejam devidamente conectados ao mesmo ponto de acesso à rede.

Exemplo: Digamos que você queira enviar um documento do seu smartphone para o gadget de um amigo. Porém, o celular dele não possui Bluetooth. Vocês decidem usar a rede Wi-Fi do local onde estão. Para isso, o roteador e os eletrônicos devem estar devidamente configurados para suportar a atividade. Geralmente, esse tipo de situação exige um conhecimento mais avançado de redes, o que pode dificultar a utilização da maioria das pessoas.

A ideia do consórcio de empresas é tornar essa interação mais intuitiva e prática. Com o padrão reformulado, basta que os dois aparelhos sejam compatíveis com o Wi-Fi Direct para que possam “conversar”. Assim, será possível navegar pela web apenas estando conectado com outro aparelho que possua compatibilidade com este novo protocolo. Dê uma olhada no vídeo abaixo e surpreenda-se com o potencial do novo padrão:

Fonte do vídeo: Perfil da Wi-Fi Alliance no Youtube.

Tal fato ampliará o alcance do sinal Wi-Fi, já que o dispositivo usado para acessar a internet não precisará estar conectado ao ponto de acesso central da rede. Aquele clássico esquema de conectar vários computadores com o roteador por meio de cabos de rede está com os dias contados.

Esta característica possibilita ao Wi-Fi abrir franca concorrência ao Bluetooth, com a vantagem de atingir taxas de transferência de até 250 Mbps – deixando longe os 52 Mbps do concorrente. Por outro lado, o consumo de energia do Direct é bem superior, característica bastante questionada até mesmo nos modelos atuais do Wi-Fi. O que isso significa? Qualquer gadget conectado à internet por meio da rede sem fio, com algumas horas de uso, precisará ser carregado.

A quarta geração do Bluetooth

O Bluetooth Low Energy teve seus estudos iniciais realizadas pelo Nokia Research Center (centro de pesquisa e desenvolvimento da marca). A empresa entendia que o modelo da tecnologia na época não contemplava todos os cenários possíveis para os usuários.

Os primeiros resultados da Nokia foram publicados em 2004, o que viabilizou dois anos mais tarde a criação do primeiro projeto para o padrão. Em meados de 2010, o Bluetooth Special Interest Group (SIG) anunciou oficialmente a adoção do BLE como protocolo da tecnologia. Hoje, a tecnologia ainda passa por testes que tentam definir os parâmetros de qualificação para o seu sinal.

Compartilhando dados sem acabar com a bateria.

Outro foco

O Bluetooth teve um viés diferente de melhoria. A novidade neste padrão teve seu foco na amplitude do sinal e no consumo de bateria dos eletrônicos. O BLE consegue enviar pacotes de dados a uma distancia de até 200 metros, o dobro da versão atual da tecnologia. A taxa de transferência diminuiu de 3 Mb/s para 1 Mb/s, algo nada animador para os amantes da alta velocidade na troca de informações.

O sinal da quarta geração da tecnologia do “dente azul” opera em faixas com frequências entre 2.402 e 2.480 MHz, assim como a versão anterior. O diferencial deste novo protocolo é o tipo de canais usados para a transmissão das ondas. No Bluetooth Low Energy, são utilizados 40 canais de 2 MHz e técnicas para manter a integridade do sinal, evitando interferências e conflitos.

O BLE possui três tipos básicos de modalidade de funcionamento: há os dispositivos que somente enviam informações; outros modelos apenas recebem dados; e existem componentes que operam em modo bidirecional, ou seja, tanto enviam como recebem os pacotes de bits.

BLE: novos gagdets vem por aí.

Fonte da imagem: Bluetooth SIG.

Mecanismos de funcionamento técnicos à parte, o que mais chama atenção no Bluetooth 4 é a economia de energia. Os parâmetros da tecnologia em fase final de desenvolvimento chegam a consumir 17 vezes menos bateria do que a versão clássica da tecnologia que usamos atualmente. Para equipamentos menores, como é o caso de relógios, players de música e celulares, este desempenho é recebido com grandes expectativas.

Outro ponto que merece destaque no BLE é a interoperabilidade entre sensores que possuem hardware proprietários. Assim, dispositivos de diferentes fornecedores podem usar a mesma língua para se comunicar. Além disso, o custo de produção de equipamentos com o Bluetooth Low Energy deve ser reduzido.

Uma observação a esta tecnologia não pode deixar de ser feita: a quarta geração do Bluetooth não é compatível com as versões atuais. Inevitavelmente, os gadgets deverão receber um novo hardware para suportar o novo padrão. Calma, caro leitor, você não perderá seu aparelho. O protocolo será implementado gradualmente, sendo que os eletrônicos deverão ser fabricados com dual mode, unidades de comunicação entre a versão tradicional e a Low Energy do Bluetooth.

O potencial destes padrões

Sem fio e sem preocupação

A aplicação do Wi-Fi Direct proporcionará maior mobilidade ao usuário ao estar conectado à rede wireless. O fato de tornar os eletrônicos pontos de acesso à internet amplia o raio de alcance do sinal Wi-Fi consideravelmente. A conexão sem fios não terá limites de expansão, basta ter um gadget compatível entre você e o roteador.

A interação direta entre os dispositivos facilitará, e muito, a manipulação de arquivos. Os dados não precisarão passar pelo roteador para chegar ao destinatário. Você envia a informação para o aparelho que deve recebê-la, assim como acontece com o Bluetooth. Dessa forma, poderemos fotografar uma paisagem com câmeras digitais, transferir as imagens para um tablet e remetê-las para uma impressora ou smartphone.

Sem fios atrapalhando sua conexão.

Outro caso em que o Direct terá grande utilidade é na utilização compartilhada de equipamentos. Por exemplo, com os computadores conectados diretamente na impressora, não será uma queda de sinal da internet que vai parar o trabalho de um departamento inteiro. O horizonte de oportunidade para as empresas e os usuários é imenso.

Na onda azul

Oportunidades para a utilização do Bluetooth Low Energy não faltam. As áreas da saúde, segurança, esporte e entretenimento devem ser as primeiras a receber a nova tecnologia. O consumo baixíssimo de energia permite a utilização de baterias menores, o que deve aumentar a gama de produtos compatíveis com o padrão renovado.

Quer cuidar melhor da sua saúde? O BLE pode ser aplicado a sapatos, cintas de frequência cardíaca e balanças e informar o usuário diretamente no seu relógio ou smartphone. O sistema de funcionamento vale também para automatizar utensílios da casa. Com a quarta geração do protocolo, vários eletroeletrônicos poderão ser controlados por um único dispositivo, bem como enviar notificações a distância para o usuário.

Sistema de GPS, pedômetros, entre outros equipamentos indispensáveis no dia a dia de viajantes e esportistas devem ganhar novas funcionalidades. A intenção do BLE é facilitar a interação entre vários eletrônicos, sem a complexidade de configuração de menus e a enrolação dos cabos.

Redes sem fio com menor consumo de energia e maior alcance.

Tanto o Wi-Fi Direct como o Bluetooth Low Energy devem causar uma revolução nos mecanismo de comunicação dos gadgets. Com a disponibilização dos padrões no mercado, possivelmente, novas aplicações surjam para agilizar nossa rotina.

O mercado

O Wi-Fi Direct deve ter um forte impacto na indústria de roteadores. A Cisco Systems, uma das empresas mais respeitadas do ramo, já começa a elaborar estratégias para compensar a queda na venda de roteadores. Uma saída para as corporações é investir no desenvolvimento de aparelhos compatíveis com o novo protocolo de rede wireless – televisores e filmadoras são gadgets com grandes perspectivas de crescimento.

O aumento de velocidade nas taxas de transferência de dados é motivo de alegria para os smartphones. Com clientes cada vez mais exigentes, as fabricantes devem adotar a tecnologia em breve. O primeiro smartphone certificado com o Wi-Fi Direct é o modelo Galaxy S da Samsung – aparelho que tem disputado mercado com o iPhone.

Por sua vez, o BLE está mais perto das prateleiras do que imaginamos. Um protótipo de relógio que interage com o Android foi apresentado pela Casio durante a Consumer Electronics Show (CES) 2011. O dispositivo exibe alertas quando o telefone portátil conectado pelo Bluetooth 4 recebe chamadas ou mensagens, e até permite que a hora seja sincronizada entre os eletrônicos. Espie a funcionalidade da invenção no vídeo seguinte:

Fonte do vídeo: Perfil do MobileBurn no Youtube.

A Texas Instruments oferece um semicondutor com a nova geração do Bluetooth embutida. O chip da marca consome apenas 24 mA durante a transmissão de pacotes de bits. Segundo o  West Technology Research Group, o Bluetooth Low Energy deve representar metade dos dispositivos com sensores sem fio até 2015.

…..

E para você? Quais são suas expectativas para estas tecnologias? Será que estes padrões de comunicação entre gadgets terão utilidade em nosso dia a dia? Que outras aplicações você vislumbra para este tipo de mecanismo de troca de dados? Compartilhe suas ideias, deixe seus comentários!

fonte:Fernando Daquino